Busca  

Reeleição da diretoria 2012-2014

A Casa

História

Notícias

Fórum e debates

Imagens

Relatório de atividades da Casa

Desenvolvimento Sustentável

Programas

Projetos

Estatutos e Regulamentos

Banco de Voluntário

Dicas de Sites

Fale Conosco

Como chegar.

Desenvolvimento Sustentável

    O Paraíso


Cyrley Leoni Martins

Diário de Petrópolis

24/08/03

Aos cinco anos, eu não conhecia o significado da palavra paraíso. Eu só sabia que havia um cantão muito especial onde eu morava e esse nome me soava com um respeitável mistério. Lá, eu só podia ir acompanhada de um adulto.

A trilha de acesso ao Paraíso era bem cuidada, margeada por um barranco ricamente coberto por grande variedade de flores e plantas ornamentais. Periodicamente era até varrida com vassoura de bambu. Terminava numa escadinha de pedras arredondadas, cobertas de musgo abrindo para uma área fofa de folhagens e areia. E maravilha! Um salão na mata. Um salão de festa, com muitos sons divinamente orquestrados! Era só parar e apreciar. Um visual assustadoramente deslumbrante, desafiador e mágico.

No meio do salão corria muita água, em todas as direções, fazendo desenhos mutantes a cada impacto ou cumplicidade com as pedras coloridas e multiformes daquele riacho. O clamor das quedas. A doçura dos pequenos remansos. As borboletas, insetos coloridos e principalmente as "almas de padres" (como chamávamos as libélulas) coloridas, ágeis, dançarinas incansáveis. As pedrinhas miúdas eram o meu deleite. Caracóis grandes e vermelhos, arrastavam-se à sombra da vegetação com seus chifrinhos esticados. Os sapos entoavam a sua cantiga, por meio de uma alucinante bateria. Muitos sabiás, muito tico-tico, muita rolinha, muitas garrinchas, muitos beija-flores e muitas, muitas flores e a festa dos peixinhos do rio. Por entre os seixos fantásticos, havia trilhas opcionais com pedras estratégicas para a gente usar como passarela pulando com perninhas curtas. Se errasse, caia dentro d'água... Sempre geladinha! E podia até ter sorte de não ficar com o joelho ralado.

Muito mais tarde, eu conclui (porque os adultos não imaginam que a gente não nasce sabendo) que aquela enorme piscina verdíssima, onde eu não podia nem chegar perto era a represa da água daquele riacho.

Quando chovia eu dava um jeitinho de ir lá ver o que se modificava na dinâmica do paraíso. A montanha jorrava borbotões dourados e espumantes rio abaixo. Que barulheira! Que festa!

Mas o mistério continuava. O riacho entrava num boqueirão de mato à direita, descia e sumia.

Aos vinte anos eu ainda sentia um cheiro muito especial e a minha cabeça dava uma volta completa quando eu ouvia a palavra paraíso. E ainda me entristecia quando lembrava de uma poesia intitulada "O anãozinho verde", que morreu afogado. Teria sido no paraíso ou na piscina natural?

Aí eu aprendi a nadar. Era um desafio premente da minha vida: ser capaz de mergulhar naquela piscina verde e misteriosa que um dia me encheu de tanto medo.

Hoje, quase aos 60 anos, acho que todas as crianças precisam de brincar muito com água, bacia, mangueira, regador, riacho, pocinho e aprender a lidar com a água, tanto quanto a conhecer e respeitar esse presente da natureza.

Essa foi a lição que eu aprendi no Paraíso, um salão florestal, cortado por um belíssimo riacho de Araras, em Petrópolis.


Outros textos desta seção
A escassez de água é um dos maiores desafios do nosso século
A sociedade civil e a água
A saúde das águas
Acidentes ecológicos
Água com Cidadania
Água é vida
Água em perigo
Água, Uma questão de Vida ou Exclusão Social
Biodigestores são implantados no Bomfim
Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piabanha espera sanção da governadora Rosinha
Contaminação das águas em Petrópolis
CRENOTERAPIA
Cultura - Meu nome é Piabanha
Definições do II Seminário Água é vida
Educação Ambiental
Entrevista com Aldo Rebouças
Empresa de Petrópolis investe na preservação dos recursos hídricos
Entrevista com o Prof. Werner Bidlingmaier
I Seminário Água é Vida - Considerações
II Seminário Água é Vida debateu a preservação dos mananciais de Petrópolis
II Seminário Água é Vida foi um sucesso!
II Seminário Água é Vida teve apoio da APEA
Lions Itaipava promoverá o III Seminário Água é Vida
Livro - Desenvolvimento Sustentável em Petrópolis
LIVRO - Empresas Aumentam Lucros e Produtividade pela Eco-Eficiência
Livro - O Manifesto da Água
Ministério Público - A voz da água
Moradores do Bairro da Glória não usam água potável
Natação
2003 - O Ano Internacional da Água Doce
O Aqüífero Guarani
Petrópolis vive um verão em alerta
Petrópolis poderá implantar a Agenda 21 Local
Piabanha, Peixe ou Rio?
Poluição Industrial
Programação do III Seminário Água é Vida
Residências precisam fazer a ligação do esgoto
Retomado projeto para salvar Represa Hidrelétrica de Areal
Saneamento e saúde em debate no seminário Água é Vida
Truticultura
Vida, criança e água - Vamos cuidar?
Você sabia?
Water is Life