Busca  

Reeleição da diretoria 2012-2014

A Casa

História

Notícias

Fórum e debates

Imagens

Relatório de atividades da Casa

Desenvolvimento Sustentável

Programas

Projetos

Estatutos e Regulamentos

Banco de Voluntário

Dicas de Sites

Fale Conosco

Como chegar.

Desenvolvimento Sustentável

    Saneamento e saúde em debate no seminário Água é Vida


O Lions e o Meio Ambiente


Desde outubro de 1972 a diretoria internacional adotou uma declaração sobre meio ambiente pautada no Desenvolvimento Sustentável. De acordo com o Protocolo de Montreal e a Agenda 21 da Cúpula da Terra realizada no Rio de Janeiro o Lions Clube apóia a meta da ONU de proteger o Planeta.

O tema usado pelo Lions Clube ao promover as atividades em prol do meio ambiente é: "O que o homem causou, ele pode solucionar". Isto representa o efeito duplo da ação do homem sobre o meio ambiente: respostas negativas podem prejudicar o meio ambiente; respostas positivas podem ajudar a corrigir os erros do passado.

A Associação Internacional de Lions Clubes, através das iniciativas de seus associados, mantêm projetos bem sucedidos na área ambiental, tais como: plantio de árvores; centros de reciclagem; manuais educativos; concursos de poesias e redações; dia da limpeza; energia solar; poluição sonora; adubo orgânico; propostas de legislação ambiental; produção de vídeos; carro elétrico; prevenção de incêndios florestais; pintura de cartazes; preservação de mananciais e ecossistemas; criação de jardins sensoriais; e preservação da fauna. Essas atividades acontecem além do Brasil, nos Estados Unidos, Canadá, México, Argentina, Uruguai, Itália, França, Holanda, Alemanha, Zimbabwe, Tanzânia, Índia, Japão, Austrália, entre muitos outros países.

Dentro do escopo de promover ações em prol do meio ambiente o Lions Clube Petrópolis Itaipava em parceria com o Distrito LC1 da Associação Internacional de Lions Clubes,  SESC Petrópolis e a Casa da Cidadania prepararam em comemoração ao Dia Internacional de Meio Ambiente um seminário temático sobre a água, que contou com a participação de diversas autoridades no assunto vindas de Brasília, Mato Grosso do Sul e do Rio de Janeiro, além de vários companheiros (as) leões do entorno que prestigiaram o evento que teve uma enorme repercussão na cidade. 

III Seminário Água é Vida


Mais de 150 pessoas participaram do III Seminário Água é Vida

Na oportunidade as políticas, projetos e ações de saneamento na cidade e no país foram os principais destaques do III seminário Água é Vida realizado no sábado, dia 04 de junho de 2005, no Sesc Petrópolis. A necessidade de conscientização sobre a importância do Desenvolvimento Sustentável foi a tônica do evento desde a abertura, que reuniu representantes da Prefeitura, Câmara Municipal e Lions Clubes e contou com especialistas de vários setores em mesas-redondas durante todo o dia.

Na abertura do evento compuseram a mesa: Alexandra Maddock Volpato, presidente do Lions Clube Petrópolis Itaipava; Pedro Aurélio de Mattos Gonçalves, Governador do Distrito Lc1 da Associação Internacional de Lions Clubes; Raquel Leal, coordenadora técnica do SESC Petrópolis; Carlos Alexandre Maia, representante da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Marcio Muniz Vieira, vereador de Petrópolis e Bruno do Nascimento, presidente da Comissão de Meio Ambiente do Lions CLube Petrópolis Itaipava.

Logo em seguida houve a magnifica apresentação da Banda do 32º Batalhão de Infantaria Motorizada Dom Pedro II.

O coordenador do evento, Bruno do Nascimento lembrou sua infância para destacar a necessidade de políticas de desenvolvimento sustentável para o município, sob pena de prejudicar as futuras gerações.

Ainda foram feitas as homenagens póstumas a Etienne Demonte, um dos maiores pintores da arte naturalista brasileira, falecido ano passado.

Outro grande homenageado foi Dionísio Julio Ribeiro Filho, ambientalista que dedicou a vida a preservação da Reserva Biológica do Tinguá, assassinado este ano.   

Painel I - Água no Meio Urbano


Ângelo Lima, Manoel Francisco, Marize Miagostovich, José Paulo e João Luiz

O diretor da empresa Águas do Imperador, João Luís Queiroz, primeiro a se apresentar anunciou que a licença de instalação da Feema para a construção da Estação de Tratamento de Esgoto do rio Quitandinha foi concedida no início da semana, permitindo o início da obra. A estimativa de conclusão é para o final de 2006 e, com isso, o percentual de tratamento de esgoto do município subirá dos atuais 36% para 55%. "Nossa expectativa é que este percentual chegue a pelo menos 70% em um período de cerca de três anos, quando a empresa iniciou os serviços, em 1998, o percentual de tratamento de esgoto era de apenas 3,9%" afirmou Queiroz.

Com um aumento de ligações de água de 24 mil para 38.795 desde 1998, a Águas do Imperador só não atende a todo o município por causa das fontes alternativas utilizadas pela população. Entre os benefícios alegados pela Águas do Imperador está o tratamento efetivo de toda a água fornecida pela empresa, incluindo o cumprimento das exigências legais de cloração e fluoretação.

O Dr José Paulo Gagliardi Leite e a Dra Marize Miagostovich, pesquisadores da Fiocruz, falaram sobre os projetos que vêm sendo realizados pela entidade em relação aos vírus eliminados através da água no meio ambiente (marcadores virais com indicadores do saneamento ambiental) e às regiões onde a população é mais atingida com infecções, com estudos de caso no Rio de Janeiro e na Amazônia.

O biólogo Ângelo José Rodrigues Lima do WWF falou sobre a campanha "água para a vida, água para todos". 

"Em recente pesquisa feita pelo WWF-Brasil, sobre O que o brasileiro pensa sobre a conservação e o uso da água, é demonstrado que de maneira geral grande parte da população está preocupada com a questão das águas no Brasil. Sendo que 88% dos entrevistados acreditam que o Brasil terá problemas de abastecimento de água num futuro bem próximo, vale destacar que a preocupação aumenta para a população de menor faixa etária, isto é, os mais jovens estão mais preocupados. Cabe destacar que a grande maioria dos brasileiros estão favoráveis a cobrança pelo uso da água, um dos itens previstos pela Política Nacional de Recursos Hídricos".

De acordo com Ângelo Lima a população do Estado do Mato Grosso do Sul, ainda está acompanhando de longe, porém está atenta ao trabalho sobre a questão da conservação das águas. O segmento que está mais mobilizado neste momento é o setor de usuários, sendo que as organizações civis estão iniciando um processo de despertar sobre a questão dos recursos hídricos. De qualquer forma, pode ser dito que a repercussão na sociedade, mesmo sendo pequena, encontra momentos bastante interessantes e de grande mobilização, pois no dia que teve a presença do Balão Panda, na cidade de Jardim (MS), foram mobilizadas em torno de 700 pessoas, entre professores, lideranças de bairros, vereadores, técnicos de vários municípios e pelo menos dois prefeitos. O fato é que o processo de mobilização está se iniciando e tem demonstrado um potencial bastante positivo e que dentro em breve trará frutos bastante interessantes para a conservação das águas no Mato Grosso do Sul.

O Painel foi moderado pelo jornalista Manoel Francisco do Nascimento Brito Filho, editor do site O ECO e ex-editor executivo do Jornal do Brasil e da Revista Veja.

 

Painel II - Aspectos relevantes do problema da água


Fernando Rodriguez, Aspásia Camargo, Paulo Antônio, Claudio Peixinho e Humberto Albuquerque

O diretor do Diário de Petrópolis, Paulo Antônio Carneiro Dias, foi o moderador da mesa-redonda Aspectos Relevantes do Problema da Água. O Painel fez uma abordagem dos principais problemas decorrentes do mau uso dos recursos hídricos e fez um alerta. Segundo Humberto Albuquerque do CPRM no Brasil não existe um cadastramento dos poços artesianos existentes o problema é agravado pelo fato de não existir qualquer tipo de fiscalização e que os poços estão sendo perfurados por pessoas sem o menor preparo para a tarefa. Fator que tem aumentado significativamente a contaminação dos lençóis freáticos na região.

Frederico Claudio Peixinho falou sobre a situação da água no Brasil e destacou o trabalho realizado realizado pelo Programa Informações para Gestão Territorial da Diretoria de Hidrologia e Gestão Territorial da CPRM sobre Estudo de Chuvas Intensas que foi desenvolvido no âmbito do Projeto Rio de Janeiro, que consiste em estudos multitemáticos do meio físico do Estado, na escala 1:250.000.

O objetivo principal do Projeto Rio de Janeiro é fornecer subsídios técnicos às administrações federal, estadual e municipais e também às entidades privadas, para o planejamento do desenvolvimento sustentado do território fluminense, assim como para o Programa Brasileiro de Zoneamento Ecológico-Econômico, em atendimento à Agenda 21.

O Projeto Rio de Janeiro, com a parceria de órgãos federais, estaduais e universidades, inclui, além dos estudos de chuvas intensas, litoestrutura, recursos minerais, economia mineral, geomorfologia, inventário de escorregamentos, uso do solo e cobertura vegetal, solos, aptidão agrícola, geofísica e geoquímica ambiental e caracterização hidrogeológica.

Segundo Frederico Cláudio Peixinho, chuvas intensas são aquelas que registram um grande volume de água precipitado em um curto espaço de tempo. Essas chuvas, freqüentemente, causam prejuízos materiais e humanos consideráveis. O estudo foi motivado pela ocorrência recente de grandes prejuízos decorrentes de chuvas intensas no estado do Rio de Janeiro e pela constatação de que o último estudo estatístico de âmbito estadual foi realizado na década de 50. Além disso, a qualidade do estudo anterior foi limitada pelas metodologias de inferência estatística da época e pela inexistência de um número expressivo de estações pluviográficas. Para este estudo estão disponíveis dados de 44 estações pluviográficas, distribuídas por todo o território estadual.

Fernando Antônio Rodriguez, ex-secretário nacional de recursos hídricos do Ministério do Meio Ambiente e diretor da Interáguas, destacou o trabalho para desassoreamento da Represa Hidreletrica de Areal. (leia mais...). O projeto para desassoreamento está pronto desde 2000 e já houve até a liberação de verbas da ordem de um milhão e meio de reais que por não terem sido utilizadas no projeto forma devolvidas aos cofres públicos. Atualmente é necessário ser realizado uma correção ao projeto original em função do tempo já decorrido. 

Painel III - Água e o desenvolvimento sustentável


Claudia Menezes, Aspásia Camargo, José Collares, Luis Firmino e Maysa Coelho

O III Painel do seminário destacou a questão do desenvolvimento susténtavel com a participação marcante da vereadora do Rio de Janeiro e ex-secretária executiva do Ministério do Meio Ambiente, Aspásia Camargo, que fez uma abordagem sobre as dificuldades de implantação da Agenda 21 nos diferentes municípios brasileiros.

A CªL Claudia Menezes, diretora técnica da Agenda 21 do Grupo Executivo do Estado do Rio de Janeiro, também participou do painel dando a sua contribuição a respeito da dificuldade de implantação da Agenda 21 no município de Petrópolis. Esteve também presente ao seminário o ex-secretário de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável do Ministério do Meio Ambiente, Sérgio Braga, o qual por sua vez abriu em outubro de 2000 o I Seminário Água é Vida. 

Para Maysa J Coelho do Instituto Militar de Engenharia, que falou sobre o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, é preciso lembrar que durante a ECO 92 na Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, ocorrida no Rio de Janeiro em 1992, foram estabelecidos princípios básicos e uma estrutura para subseqüentes ações , incluindo o desenvolvimento de protocolos e agendas.

Um dos produtos mais importantes de todos esses processos foi o Protocolo de Kyoto, que estabelece que os países desenvolvidos, a Europa Oriental e o antigo bloco Soviético devem reduzir suas emissões de "gases de efeito estufa" para níveis equivalentes aos de 1990.

Os "gases de efeito estufa" são induzidos principalmente por atividades humanas sendo os mais significativas a produção do dióxido de carbono (CO2) e do metano (CH4). No Protocolo de Kyoto foi estabelecido um mecanismo, chamado Mecanismo de Desenvolvimento Limpo - MDL, em que países desenvolvidos poderão transferir tecnologias para países em desenvolvimento, ou financiar projetos que visem à redução ou a incorporação de carbono. As reduções efetivas dessas emissões chamadas "créditos de carbono", são então creditados a favor do país financiador.

Segundo estudos realizados, o estoque de carbono em florestas e campos estimado para o Estado do Rio de Janeiro foi avaliado em 0, 15 bilhões de toneladas de carbono, podendo variar em até 30%. Se for considerado que o preço do credito de carbono no mercado internacional varia entre US$ 15,00 até US$ 20,00 por tonelada de carbono, o potencial econômico do Rio de Janeiro apenas na área de Reflorestamento e Mudança do Uso da Terra é bastante expressivo.

Luis Firmino apresentou o estudo de caso do Consórcio Intermunicipal Lagos de São João que é o primeiro Comitê de Bacia sancionado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. O Comitê de Bacia do Rio Piabanha, Preto e Paquequer aguarda há mais de um ano a sanção da governadora Rosinha Matheus, apesar de já ter sido aprovado no Conselho Estadual de Recursos Hídricos o seu funcionamento. 

Firmino disse como funciona o Consórcio e as vitórias alcançadas junto com a participação da população local. Tendo até ocorrido o fato inédito da própria população exigir o aumento da tarifa de esgoto no intuito de viabilizar a construção do sistema de tratamento de esgotos.

Firmino aproveitou para salientar a importante iniciativa de participação do Lions Clube na realização do III Seminário Água é Vida e falou da dificuldade de mobilização do Rotary e do Lions na Região dos Lagos no tocante a participação no Consórcio que tem como objetivo a preservação dos recursos hídricos. 

O Painel foi moderado por José Collares, superintendente do Instituto ECOTEMA,  e um dos autores do plano de zoneamento ambiental da APA Petrópolis.

Para Bruno do Nascimento, coordenador do III Seminário Água é Vida, o evento foi uma oportunidade para amadurecer a reflexão a respeito da preservação dos recursos hídricos no munícipio. "Os palestrantes souberam de forma bastante contudente e sem cansar a platéia passar a mensagem de que é necessário preservar o meio ambiente".

Prêmio Lions de Meio Ambiente


Em complementação ao III Seminário Água é Vida foi entregue o Prêmio Lions de Meio Ambiente, oferecido pelo Distrito LC1 da Associação Internacional de Lions Clubes, sendo os agraciados escolhidos pelos Lions Clubes da região. O Lions Itaipava indicou Ludovico Landau Remy, diretor presidente da Fábrica de Tecidos Werner, para receber o Prêmio Lions de Meio Ambiente.

O Prêmio Lions Meio Ambiente foi entregue ao representante do diretor da Werner pelo sistema de tratamento de efluentes industriais da empresa. Além do diretor, toda a direção e funcionários foram homenageados com uma placa dada pelo Lions Itaipava. Segundo a presidente da entidade, Alexandra Maddock Volpato, esta foi uma forma de parabenizar todo o conjunto da empresa.

Pedro Aurélio entrega o Prêmio Lions de Meio Ambiente a Profª Sandra 

A grande surpresa do Prêmio Lions de Meio Ambiente ficou por conta da Escola Municipal do Bataillard. O Lions Clube Petrópolis Itaipava fez uma placa para homenagear a escola pelo importante trabalho de conscientização desenvolvido com os alunos sobre o Rio Piabanha.

O projeto acabou rendendo desdobramentos para toda a Rede Pública Municipal de Educação. Após a apresentação da homenagem e do discurso de agradecimento da Professora Sandra, diretora da escola, o governador da Associação Internacional de Lions Clubes, Pedro Aurélio de Mattos Gonçalves, bastante emocionado e motivado pelo trabalho desenvolvido, em nome dos Lions Clubes do Distrito LC1, concedeu o Prêmio Lions de Meio Ambiente para a escola.

As palavras do Pedro Aurélio foram de incentivo ao trabalho realizado pela escola pública e de incentivo aos jovens, afirmando que o Lions Clube sentia muito orgulho por prestar tão justa homenagem. Esse foi um momento visto por poucos, mas foi um dos mais emocionantes do evento.


Foram contemplados com o Prêmio Lions de Meio Ambiente as seguintes personalidades e entidades:

AGRACIADO

LIONS CLUBE

Ludovico Landau Remy  Petrópolis Itaipava
Gisele Ribeiro Vieira Petrópolis Quitandinha
Sidônio Fernandes Petrópolis Centro
Comlurb - Gerência da Barra da Tijuca Rio de Janeiro Cidade Maravilhosa
Ricardo Luiz da Silva Dantas Rio de Janeiro Copacabana
Comlurb - Gerência da Barra de Guaratiba Rio de Janeiro Guaratiba
Maria Nazaré da Rocha Carvalho Rio de Janeiro Realengo
Júlio Cesar de Faria Alvim Wasserman Rio de Janeiro Recreio dos Bandeirantes
Eduardo Paes Rio de Janeiro Taquara

Estiveram presentes no III Seminário Água é Vida as seguintes autoridades leonísticas:

CL Pedro Aurélio de Mattos Gonçalves e esposa CªL Marlene
Governador do Distrito LC1
CªL Eunice Rubim de Moura
Assessora de Meio Ambiente do Distrito LC1
CL Antônio Sampaio da Silva
Presidente do Lions Clube Rio de Janeiro Taquara
CL Antônio Figueiredo Filho e esposa CªL Marlene Figueiredo
Presidente do Lions Clube Rio de Janeiro Bangú
CªL Eunice Catunda
Presidente do Lions Clube Petrópolis Quitandinha
CªL Alexandra Maddock Volpato
Presidente do Lions Clube Petrópolis Itaipava
CªL Nice do Nascimento
Presidente do Lions Clube Petrópolis Centro
CL Paulo Magno Jeffroy
Assessor de Ética do Distrito LC1
CL Fernando José Cardoso Teixeira
Assessor de Encontros de Bandas e Fanfarras

O Seminário foi encerrado com um coquetel na sala dedicada as pinturas naturalistas de Etienne Demonte.

O "Leão" pintura de André Demonte, filho de Etienne Demonte

LINK:


O ECO

Águas do Imperador

Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz

WWF - Brasil

Diário de Petrópolis

Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais - CPRM

Fernando Antônio Rodriguez - Interáguas

Instituto ECOTEMA

Aspásia Camargo

Agenda 21 Estadual

Instituto Militar de Engenharia

Consórcio Intermunipal Lagos de São João

Associação Internacional de Lions Clubes

SESC Petrópolis

Riverside Park Hotel

Família Demonte

Colégio São José

Museu Imperial

Banda do 32º Batalhão de Infantaria Motorizada Dom Pedro II


Outros textos desta seção
A escassez de água é um dos maiores desafios do nosso século
A sociedade civil e a água
A saúde das águas
Acidentes ecológicos
Água com Cidadania
Água é vida
Água em perigo
Água, Uma questão de Vida ou Exclusão Social
Biodigestores são implantados no Bomfim
Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piabanha espera sanção da governadora Rosinha
Contaminação das águas em Petrópolis
CRENOTERAPIA
Cultura - Meu nome é Piabanha
Definições do II Seminário Água é vida
Educação Ambiental
Entrevista com Aldo Rebouças
Empresa de Petrópolis investe na preservação dos recursos hídricos
Entrevista com o Prof. Werner Bidlingmaier
I Seminário Água é Vida - Considerações
II Seminário Água é Vida debateu a preservação dos mananciais de Petrópolis
II Seminário Água é Vida foi um sucesso!
II Seminário Água é Vida teve apoio da APEA
Lions Itaipava promoverá o III Seminário Água é Vida
Livro - Desenvolvimento Sustentável em Petrópolis
LIVRO - Empresas Aumentam Lucros e Produtividade pela Eco-Eficiência
Livro - O Manifesto da Água
Ministério Público - A voz da água
Moradores do Bairro da Glória não usam água potável
Natação
2003 - O Ano Internacional da Água Doce
O Aqüífero Guarani
O Paraíso
Petrópolis vive um verão em alerta
Petrópolis poderá implantar a Agenda 21 Local
Piabanha, Peixe ou Rio?
Poluição Industrial
Programação do III Seminário Água é Vida
Residências precisam fazer a ligação do esgoto
Retomado projeto para salvar Represa Hidrelétrica de Areal
Truticultura
Vida, criança e água - Vamos cuidar?
Você sabia?
Water is Life